logo

22/6/2022 13:38

CEO do Cruzeiro valoriza opção de estádio em Betim na busca por "casa fixa" e maiores receitas

CEO do Cruzeiro valoriza opção de estádio em Betim na busca por casa fixa e maiores receitas
O Cruzeiro está avaliando a possibilidade de administrar a arena que será construída em Betim. E um dos responsáveis do clube por analisar a situação é Gabriel Lima, CEO do clube. Ele esteve presente em reunião com integrantes da Prefeitura da cidade da Região Metropolitana de BH, nessa terça-feira, e trata a situação com cautela.

A reunião em Betim foi a primeira entre as partes. Gabriel Lima explica que é cedo para opinar sobre o projeto oferecido e que haverá um estudo para que o Cruzeiro possa tirar todas as dúvidas em relação a ele. Vale lembrar que o clube receberá uma carta de intenções para que possa conhecer detalhadamente o projeto.

- Ainda é muito preliminar para emitir uma opinião. A gente foi entender, não tínhamos visto nada do projeto, do lugar, ficamos sabendo pela imprensa. Fomos convidados para que apresentassem o projeto. Fomos, ouvimos todo o projeto, temos uma série de dúvidas. Vamos fazer o dever de casa e passar para eles todas as dúvidas de modelo, quanto tempo demoraria a construção... uma série de detalhes técnicos antes de a gente falar que é uma opção firme - disse, em entrevista ao canal do Samuel Venâncio.

Diante do impasse com o Mineirão, que se dá em função do alto custo para o Cruzeiro jogar no estádio, Gabriel Lima considera interessante a opção de poder analisar o projeto da cidade vizinha a Belo Horizonte. O CEO cita que o clube busca uma casa fixa. Neste ano, o time teve que disputar dois jogos importantes (Grêmio, na Série B, e Remo, na Copa do Brasil) no Independência em função de o Gigante da Pampulha ter agendado shows.

Hoje se apresenta como uma opção. É interessante olhar? Sim, interessante olhar para manter todas as opções abertas. Mas é muito prematuro dizer que vamos para um lugar ou outro.

"O que queremos é que o cruzeirense tenha uma casa, um destino fixo da semana e do fim de semana, e que a gente não fique tão sujeito às variações de shows para cumprir nosso calendário do futebol."

De acordo com o projeto apresentado à imprensa pela prefeitura de Betim, o estádio seria contruído com participação de um investidor estrangeiro, com custo de cerca de R$ 450 milhões. Os recursos seriam totalmente privados, sem participação do Cruzeiro. O município cederia a área. O Cruzeiro teria direito a cerca de 80% da bilheteria de uma partida e poderia ainda explorar camarotes e bares em dias de jogos.

Gabriel Lima admite que as condições, sendo realmente essas, seriam interessantes até em relação à negociação com o Mineirão, mas volta a pedir cautela para análise de detalhes do projeto. O Cruzeiro quer ter mais receitas, seja onde for.

- Sem dúvida (seria importante), mas tem que entender. Não foi apresentado ainda o plano de negócios para entender cada detalhe de como seria essa parte de 80% de receita líquida. Me parece que seria muito, inclusive. Seria muito atraente, sem dúvida.

"O que tem que ficar claro é que estamos buscando as melhores opções para o Cruzeiro e para o torcedor. Fortalecer receitas significa fortalecer a SAF, o futebol, a instituição, o Cruzeiro. Isso que vamos buscar: mais receitas, melhores condições, seja no Mineirão, seja na arena em Betim, seja onde for."

Relação com o Mineirão
Apesar de o Cruzeiro deixar bem claro a insatisfação com o atual modelo de parceria para jogar no Mineirão, Gabriel Lima diz que a relação com a Minas Arena, administradora do estádio, é boa. Desde o início do ano, a gestão do clube tem conversado com a empresa na tentativa de melhorar as condições para jogar no estádio, tendo, inclusive, chegado a mandar jogos no Independência para gastar menos.

- A gente tem uma relação saudável com a Minas Arena, uma interlocução constante com eles. Fizemos uma negociação no início porque entendíamos que existiam pontos a serem ajustados. A gente ainda acredita que pode melhorar muito, pelo que o Cruzeiro representa. Dentro da representatividade do Cruzeiro, a gente quer ser reconhecido e ter nossa parcela nessa história. As conversas iniciais foram saudáveis, cordiais, como têm sido desde então, aparando as arestas até chegarmos a um denominador comum.

Gabriel Lima trata com naturalidade as negociações entre clube e Mina Arena. O dirigente ainda lembra que há uma dívida grande do Cruzeiro com a empresa vinda de anos anteriores.

- Eles estão defendendo a empresa deles, e a gente defendendo o Cruzeiro. Normal. Faz parte da discussão empresarial, de relações comerciais. Não julgo a posição da Minas Arena. O Mineirão é um dos principais credores do Cruzeiro, que jogava e não pagava. Mas isso também não quer dizer que a gente tenha que aceitar qualquer condição. Esperamos chegar a um denominador comum, seja qual for.

Ronaldo Fenômeno se reuniu com Romeu Zema, governador de Minas Gerais, na semana passada, e o estádio foi pauta. O clube busca ajuda para melhorar as condições atuais em relação ao Mineirão, e o Governo quer ao menos diminuir os custos que tem com repasses mensais à Mina Arena, pelo contrato de parceria púbico-privada assinada em 2010.

900 visitas - Fonte: globoesporte




Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Mineiro

Sáb - 16:30 - Governador Magalhães Pinto -
X
Cruzeiro
Uberlandia

Mineiro

Dom - 11:00 - Municipal João Havelange
0 X 2
Pouso Alegre
Cruzeiro