logo

27/2/2019 17:45

Para evitar punições, Cruzeiro repassa a organizadas regras da Conmebol sobre conduta da torcida na Copa Libertadores

Para evitar punições, Cruzeiro repassa a organizadas regras da Conmebol sobre conduta da torcida na Copa Libertadores

Representantes de sete organizadas do Cruzeiro estiveram nesta terça-feira na Toca da Raposa II, onde se reuniram com dirigentes do clube para se inteirar sobre regras implantadas pela Confederação Sul-Americana de Futebol nos jogos da Copa Libertadores. Conforme o Regulamento Disciplinar da competição, as agremiações são responsáveis pelo comportamento de suas torcidas, ficando sujeitas a punições caso alguma norma seja desrespeitada. A Raposa fará o primeiro jogo no Mineirão contra o Deportivo Lara-VEN, dia 13 de março (quarta-feira), às 19h15, pela segunda rodada do Grupo B.



No encontro com os torcedores, a cúpula celeste apresentou trechos de regulamentos que reprovam algumas condutas e colocam o clube sob risco de sanções. Uma das normas exibidas foi o Artigo 13.2, inciso A, do Regulamento Disciplinar da Conmebol, no qual consta a proibição do uso de “sinalizadores, fogos de artifício ou qualquer outro objeto pirotécnico” no estádio e em seus arredores. Já o inciso D do mesmo artigo condena “o uso de gestos, palavras, objetos ou outro meio para transmitir qualquer mensagem não apropriada em um evento esportivo, particularmente se é de natureza política, ofensiva ou provocativa”.



O artigo 14 do Regulamento Disciplinar da Conmebol alerta para a possibilidade de um clube perder mandos de campo caso algum torcedor “insulte ou atente contra a dignidade humana de outra pessoa ou grupo de pessoas por motivos de cor de pele, raça, etnia, idioma ou origem”. Por sua vez, o responsável pela ofensa poderá ser suspenso por até cinco jogos de torneios organizados pela entidade sul-americana.

Já o artigo 129 do Regulamento da Copa Libertadores de 2018 vetava a presença no estádio de pessoas em estado de embriaguez ou sob efeito de substâncias psicotrópicas, além de objetos como apitos (que confundiriam os árbitros dos jogos), lasers, guarda-chuvas e até mesmo bandeiras que tapem a publicidade no estádio ou impeçam a visibilidade dos espectadores. A redação está mantida na edição de 2019.

Todos esses pontos foram explicados pelo Cruzeiro às organizadas Máfia Azul, Geral Celeste, China Azul, Pavilhão Celeste, Cachazeiros, Torcida Jovem e Torcida Fanáti-Cruz. Algumas se manifestaram contra a Conmebol via redes sociais. “Resumo da reunião em andamento: o torcedor não pode fazer nada, senão é multado!”, escreveu a Cachazeiros, que, em outra mensagem, reforçou a posição de cautela para que não haja nenhuma penalidade. “Vale lembrar que todas as ações irregulares dentro e fora do campo geram uma pena enorme para o clube, que não tem direito nem a recurso. Exemplo de uma multa sem recurso: APITO (cerca de 10 mil dólares), se algum delegado escutar esse som na arquibancada”.

A Torcida Geral Celeste também lamentou as medidas impostas pela Conmebol e criticou a intenção da instituição de exigir que o público assista sentado aos jogos a partir de 2021.


O que será permitido?

De acordo com o Cruzeiro, estão liberadas bandeiras que tiverem até dois metros, mas sem o mastro; bandeirolas de até 1,5 metro; e tirantes de 90 cm, com espaçamento de cinco metros entre elas.

Edison Travassos, interlocutor do Cruzeiro nos assuntos da Conmebol, avaliou o desfecho da reunião em entrevista ao site oficial do clube. “Nosso intuito era conscientizar que cada um tem sua responsabilidade no evento. Estamos todos juntos em prol do Cruzeiro. Podemos receber multas pesadas e sanções que podem envolver desde desconto de valores na cota de participação na Libertadores a até mesmo jogar de portões fechados e desclassificação do torneio. Queremos fazer um jogo que seja ótimo antes, durante e depois da partida”.

O gerente de marketing e relacionamento com o torcedor, Leandro Freitas, destacou o papel importante das organizadas no encontro. “Todas essas penalidades podem atingir o clube. As nossas torcidas organizadas são partes importantes nas partidas e nos ajudam a fazer uma festa bonita nos duelos. Então é necessário que todos saibam o que está autorizado a ser feito para que possamos realizar um bom jogo dentro das quatro linhas e também nas arquibancadas”.

Punição em 2018

Em consulta ao Tribunal Disciplinar da Conmebol foi possível constatar que o Cruzeiro recebeu multa de US$ 10 mil (cerca de R$ 37 mil) no dia 20 de outubro de 2018 por causa dos incidentes ocorridos na partida contra o Boca Juniors, em 4 de outubro, pelas quartas de final da Copa Libertadores. Antes do duelo, os jogadores foram recepcionados na entrada do Mineirão por uma multidão, que usou sinalizadores para fazer uma espécie de rua de fogo, ação proibida pela entidade sul-americana. O despacho do auditor Eduardo Gross Brown relatou infração da Raposa aos artigos 8 e 13.2 incisos A, B e C do Regulamento Disciplinar, além de desrespeito aos artigos 66 e 129 do Regulamento da Copa Libertadores.

O Superesportes pesquisou outros pontos das normas da Conmebol que tratam especificamente do comportamento dos torcedores no estádio. Seguem abaixo alguns trechos da versão em português:



Cruzeiro, Nação Azul, Torcida

183 visitas - Fonte: www.mg.superesportes.c


Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Próximo Jogo - Mineiro

S&# - 16:00 - Estádio Radialista Mário Helênio - PPV
Tupi
Cruzeiro

Último jogo - MINEIRO

Dom - 16:00 - Mineirão
Cruzeiro
2 0
Tombense